Meerkat abre inscrições para usuários Android testarem app

Depois de confirmar que estava desenvolvendo uma versão para quem usa dispositivos com o sistema operacional do Google, o Meerkat anunciou que usuários Android vão poder testar uma versão do app em breve.

Pelo Twitter, a desenvolvedora do aplicativo de transmissões em tempo real divulgou o link de um formulário do Google para quem deseja participar dos testes. Ainda não há informações sobre a existência de um limite no número de pessoas escolhidas para esta fase.

Reprodução

Até agora, Meerkat e Periscope estavam disponíveis apenas para dispositivos iOS, mas é possível que em pouco tempo sejam lançadas versões para Android, já que as duas empresas divulgaram que já estão trabalhando em versões para o sistema.

Via Mashable

Por Redação Olhar Digitalem 16/04/2015 às 10h25

http://olhardigital.uol.com.br/noticia/meerkat-abre-inscricoes-para-usuarios-android-testarem-app/48007

Infoglobo lança portal para jovens com foco em mobile

Batizado de XD, site tem objetivo de trazer informações de maneira divertida

Infoglobo lança portal para jovens com foco em mobile

A Infoglobo acaba de lançar uma nova plataforma de informações e entretenimento direcionada ao público jovem, o XD. Em busca de estreitar relação com o público-alvo, o projeto será lançado em formato de site móvel.

O site irá trazer notícias de grande visibilidade que serão retratadas com irreverência e objetividade, além de dar foco especial à emoção. Os posts não serão organizados por editorias, mas sim por emoções representadas por ‘emoticons’. O site dispõe de algumas categorias como ‘Para Rir’, ‘Para Amar’, ‘Para Chorar’, ‘Para Espiar’ ou ‘Para Surtar’.

As notícias serão distribuídas por meio das redes sociais e o público poderá participar via WhatsApp ou outro aplicativo de comunicação. O projeto foi previamente testado e aprimorado durante a Campus Party desse ano e teve colaboração de jovens programadores.

Quanto ao modelo comercial, a proposta da plataforma é utilizar publicidade nativa, formato que reúne conteúdo editorial associado a marcas patrocinadoras.

29/04/2015

http://www.proxxima.com.br/home/mobile/2015/04/29/Infoglobo-lan-a-portal-para-jovens-com-foco-em-mobile.html

Livro muda a história conforme cidade em que o leitor está

Se, por si só, a tecnologia já é algo surpreendente, sua experiência fica ainda mais inédita quando aliada a tradicionais comportamentos humanos. Unir o velho hábito de leitura a amplas possibilidades que um e-book pode proporcionar é um bom exemplo disso.

Usando este raciocínio, o Clube Smiles lança um Trip Book inédito que traz uma grande surpresa: a história muda de acordo com o lugar do mundo onde o leitor está.

Parece absurdo, mas é muito plausível. Para essa ação, a FCB Brasil desenvolveu um equipamento exclusivo com uma tecnologia especial, que identifica onde o leitor está por meio de geolocalização.

A história do livro, criada pelo escritor Marcelo Rubens Paiva, irá se passar na cidade em que o leitor está e, se o leitor viajar durante a leitura, o enredo muda e os personagens vivenciam as experiências destes lugares. Seja para Nova York, Paris, Roma, Rio de Janeiro, Lisboa e Buenos Aires.

“O Trip Book Smiles faz a literatura e a tecnologia se encontrarem de um jeito novo porque ele não é só um suporte para a leitura. A tecnologia aqui tem o poder de mudar a própria história do livro, de deixá-la mais dinâmica e de se adaptar à viagem do leitor”, destacou Max Geraldo, VP de Criação da FCB Brasil.

O projeto faz parte de uma grande campanha chamada “Todos os dias um motivo para sorrir”. Nela, a marca cria ações diárias que durante 365 dias. Todos os motivos já divulgados podem ser vistos aqui.

A história poderá ser baixada gratuitamente pelo aplicativo Trip Book Smiles para os sistemas iOS (em breve na App Store) e Android. Ela conta as aventuras de um casal que mora em São Paulo mas decide dar um tempo para viajar até a mesma cidade onde passaram a primeira lua-de-mel. A partir daí o destino do romance muda para onde o leitor estiver. A trama e o casal é o mesmo, apenas as referências dos lugares em que passa a história muda, como lojas, parques, ruas, museus, pontos turísticos entre outros

27 de abril de 2015 · Atualizado às 15h23 – Redação Adnews

http://www.adnews.com.br/tecnologia/livro-muda-a-historia-conforme-cidade-em-que-o-leitor-esta

App permite que amiga seja “anjo da guarda” durante trajeto

“BackMeAPP”, novo aplicativo de Always (reprodução/Youtube)

Um medo ao qual as mulheres são constantemente submetidas é o de passar por algum tipo de violência ou ataque, sobretudo em seus trajetos diários (para casa, faculdade, trabalho etc). Essa é uma realidade que infelizmente independe de país, cultura ou etnia.

Pensando nisso, a Always lançou, em parceria com a Leo Burnett Italia, uma campanha para divulgar seu novo aplicativo para o público feminino.

“BackMeApp” permite à mulher conectar-se a uma pessoa de confiança, que irá “acompanhar” remotamente o trajeto a ser feito por ela até o destino desejado.

A pessoa recebe uma notificação e pode aceitar ou não o convite. Caso aceite, será notificada se o caminho escolhido pela amiga for interrompido ou desviado, recebendo um alerta de possível perigo pelo qual ela pode estar passando e, assim, procurar ajuda.

Se o trajeto não for alterado, ao chegar ao destino final a usuária do app pode encerrar esta conexão, que gera uma notificação à “acompanhante” informando-a de que chegou em segurança.

A ideia, simples e aparentemente eficaz, propõe uma alternativa de ajuda às mulheres que se sentem inseguras ao caminhar sozinhas pelas ruas.

O app, que foi desenvolvido pela Moblin, teve 3 mil downloads em um único dia em Israel e contabiliza até agora 1,8 milhões de downloads, segundo o video da campanha.

“BackMeApp” ainda não está disponivel para download no Brasil e até o fechamento desta matéria não obtivemos confirmação de previsão para seu lançamento no país.

Enquanto não é possível fazer o download do aplicativo, confira o filme da campanha:

27 de abril de 2015 · Atualizado às 15h36 – Redação Adnews

http://www.adnews.com.br/publicidade/app-permite-que-amiga-seja-anjo-da-guarda-durante-trajeto

App e rede social criam um novo tipo de foto em 3D

Dez anos atrás, percebi que algo estava faltando. Uma foto é um momento no tempo. Um vídeo captura o tempo. Mas como capturar um momento no espaço?” Foi essa pergunta que Radu Rusu, CEO da mistura de app e rede social Fyuse, se fez antes de criar a inovadora ferramenta.

TIM - Fyuse

O Fyuse passou a funcionar de fato no finalzinho de 2014, e tem conquistado cada vez mais adeptos. A tecnologia criada por Rusu e a equipe dele é única: uma mistura de foto e vídeo que permite que o usuário capture imagens em três dimensões e panorâmicas em 360 graus. É por isso que lá fora o Fyuse vem sendo chamado de “Instragram para imagens em 3D”.

Para usar o app e a rede social (disponíveis para Android 4.3 e iOS 7 ou superiores) você precisa apenas movimentar o celular diante do objeto ou da pessoa que quer fotografar. Mais ou menos como mostra o vídeo abaixo:

Assim, captura-se uma “fotografia espacial”, como explica a empresa. Depois, dá para compartilhar na rede social que vem acoplada ao app; como no Instagram, é possível seguir usuários e favoritar imagens; também dá para criar álbuns que podem ser públicos ou privados.

por ROLLING STONE/OFERECIMENTO TIM
27 de Março de 2015 às 09:00

http://rollingstone.uol.com.br/especial/TIM/noticia/app-e-rede-social-criam-um-novo-tipo-de-foto-em-3d

Online to offline: a nova maneira de comprar

Online to offline: a nova maneira de comprar

Seja para pedir um táxi, reservar uma mesa em um restaurante ou até receber cupons de desconto, o smartphone se tornou uma ferramenta essencial para a realização de tarefas cotidianas. Cada vez mais simples e prático, o universo mobile transcende o digital e deixa o público em contato com experiências no mundo off-line.

Especialmente no Reino Unido e na China, uma tendência conhecida como click and collect, ganha força não apenas para compras, mas também para promoções e programas de fidelidade. Os consumidores adquirem produtos ou aceitam benefícios no digital e os resgatam em uma loja física. Segundo dados da consultoria OC&C, no Reino Unido, o volume de compras realizadas online, mas com pedido de retirada em loja física, deve superar o delivery em 2015.

Essa tendência é vista como positiva por lá, inclusive do ponto de vista do planejamento urbano, como potencial para alavancar a atividade comercial nas ruas das cidades britânicas. O próprio ministro do planejamento Brandon Lewis já se posicionou sobre a necessidade de ajudar o comércio a sobreviver diante da concorrência do e-commerce e, mais recentemente, do m-commerce, visto que a maneira como as compras são realizadas está mudando radicalmente.

Para as marcas, a utilização do click and collect permite a criação de uma jornada profunda de relacionamento e engajamento, que deve ser totalmente alinhada ao posicionamento de cada marca. E é aí que a tecnologia mobile faz toda a diferença. Utilizando os recursos dos smartphones, marcas podem criar interações totalmente personalizadas e usando o contexto para envolver os consumidores em ações promocionais.

Imagine uma rede de fast food que te oferece cupons de desconto para um café quente nas manhãs de inverno e um sorvete nas tardes de verão. Ou seu restaurante favorito oferecendo um desconto em um dia da semana em que você costuma comer fora de casa. A experiência se completa quando você consegue resgatar esses benefícios de maneira fluída, sem precisar imprimir nada ou soletrar nenhum código à atendente no ponto de venda.

Os smartphones permitem ainda a utilização de outros recursos para compor a transição entre on-line e off-line, como os “iBeacons”, que dialogam com os celulares via Bluetooth proporcionando interações microlocalizadas e transformando as lojas em centros de experimentação e engajamento.

A evolução crescente do mobile tem aberto novas oportunidades para o relacionamento entre marcas e consumidores. No Brasil, estamos tratando de um mundo que ainda ganha força. Não existe uma fórmula mágica para aplicar o on-line to off-line (o2o), mas as ferramentas necessárias já estão disponíveis e as marcas de vanguarda colherão os frutos do engajamento mobile.

Federico Pisani Massamormile é CEO da Hanzo

24/04/2015

http://www.proxxima.com.br/home/conectados/2015/04/24/Online-to-offline-a-nova-maneira-de-comprar.html

Estudo mensura o impacto dos wearables

A Salesforce lançou um novo relatório sobre a pesquisa “Colocando Wearables para trabalhar: Insights sobre a Tecnologia dos Wearables em Negócios”, o qual confirma que, como um dos segmentos mais inovadores da tecnologia, os wearables, também conhecidos como dispositivos vestíveis, são vistos como uma plataforma estratégica para melhorar o desempenho dos negócios, e são uma área em expansão de investimento. O estudo realizado pela Salesforce Research demonstra como os profissionais que adotam os wearables estão planejando incorporar esses dispositivos em processos de negócios do dia-a-dia, para melhorar a produtividade e conectividade entre os funcionários e os clientes.

O estudo revela informações-chave a partir de cinco áreas pesquisadas: significado estratégico, áreas projetadas de crescimento, tendências de evolução dos dispositivos, o impacto dos insights de dado e a importância de um ecossistema de aplicativos em expansão. Conclusões específicas incluem:

Os wearables nas empresas são estratégicos para o sucesso empresarial
– Setenta e nove por cento dos adotantes desses dispositivos concordam que os wearables são ou serão estratégicos para o sucesso futuro da empresa.
– Setenta e seis por cento relatam melhorias no desempenho nos negócios desde a implantação dos wearables em suas empresas.
– Oitenta e seis por cento dos adotantes planejam aumentar seus gastos com wearables nos próximos 12 meses.

O uso de wearables nas empresas deverá triplicar nos próximos dois anos
– Quatro das cinco principais áreas de crescimento estão ao redor da melhora da experiência do consumidor. Os quatro casos de uso dos wearables que ajudam a melhorar a experiência do consumidor incluem: acesso em tempo real a dados de clientes, instrução ou diretrizes para trabalho de campo hands free, analytics a alertas corporativos e treinamento remoto do consumidor.

– O uso de wearables pelos consumidores está sendo liderado pela integração com dispositivos móveis e programas de fidelidade, aplicações de ponto de venda e experiências imersivas dos consumidores.

Os smartwatches estão vencendo corrida da tecnologia de wearables corporativos
– Para as pessoas que participaram da pesquisa, os smartwatches terão o maior impacto e a taxa de adoção mais rápida nas empresas. De fato, 62 por cento estão usando, pilotando ou planejando usar smartwatches no ambiente corporativo nos próximos dois anos. Casos de uso de smartwatches incluem:

Inteligência aumentada de vendas: para uma equipe de vendas que trabalha remotamente ou on-the-go, os representantes de vendas podem usar inputs de recursos de fala em sua língua para enviar informações diretamente do smartwatch a um sistema de CRM.

Oferecer uma experiência VIP ao consumidor: representantes de serviço ao consumidor usando um smartwatch em um ambiente de varejo, por exemplo, pode ser alertados sobre as preferências dos consumidores-chave, permitindo que eles propiciem uma experiência high-touch altamente personalizada.
– Cordões digitais e óculos inteligentes ocupam o segundo e terceiro lugares por seu impacto esperado sobre empresas.

Propicie experiências integradas on-site: crachás e cordões RFID podem ser
implantados em um resort para transacionar pagamentos e gerenciar o acesso a quartos ou áreas VIP. Os dispositivos também geram dados, os quais podem ser analisados para a obtenção de insights sobre o melhor fluxo de tráfego dentro de um local de um evento ou em determinados momentos do dia.
Minimize o tempo de inatividade para o serviço de campo: os óculos inteligentes podem fornecer suporte imediato aos representantes de serviços de campo remotos. Por exemplo, um técnico em uma plataforma de petróleo pode se conectar a diagramas técnicos pelos óculos inteligentes, que mostram os passos necessários para um reparo.

Os dados gerados pelos wearables serão um game-changer para uma empresa
– Hoje, somente oito por cento dos adotantes de wearables afirmam que estão completamente prontos para obter insights para ações a partir do volume de dados de funcionários e consumidores gerados pelos wearables. Quando o uso desses dispositivos nas empresas acelerar, o afluxo de dados gerados pelos wearables irá ajudar as empresas a tomar decisões informadas em tempo real.

Uma expansão do ecossistema de aplicativos corporativos vai estimular a adoção da tecnologia dos wearables
– Trinta por cento dos adotantes citam a falta de aplicações de negócios como um desafio primário na implantação de wearables.
– Quando o ecossistema de aplicativos crescer e novo hardware permitir cenários de negócios mais complexos, o número de empresas que adotam os wearables irá aumentar dramaticamente.

“Os wearables são a próxima fase da revolução dos mobiles. Como os smartphones antes deles, a chave do sucesso para os wearables nas empresas está totalmente relacionada com aplicativos corporativos matadores”, diz Lindsey Irvine, Diretora Global de Parcerias Estratégicas da Salesforce. “Esta pesquisa demonstra a enorme oportunidade para os casos de uso de wearables para impulsionar negócios de valor significativo”.

O relatório também destacou a forma como as empresas podem tornar-se mais bem preparadas para incorporar os wearables em seus negócios, como a adoção de políticas que apoiam o Bring-Your-Own-Wearables (BYOB). Enquanto 54% das empresas já têm uma política de BYOB, mais 40% das empresas estão planejando implantar uma política de BYOW no futuro.

O estudo, realizado pela Salesforce Research e conduzido entre 27 fevereiro e 1 março de 2015, centrou-se em mais de 500 profissionais que adotaram a tecnologia dos wearable em empresas de vários portes, que disseram que estavam usando, guiando ou planejando implantar a tecnologia wearable nos negócios dentro dos próximos dois anos.