“Modo retrato” é destaque em comercial apaixonado de iPhone 7 Plus

02 de Maio de 2017  

iphone 7 plus

A nova campanha da Apple, para divulgar o iPhone 7 Plus, é uma alusão aos apaixonados que só tem olhos para os respectivos seres amados. Com o mote “Foque no que você ama”, o vídeo mostra as possibilidades para quem quer fotografias de alta qualidade, com as vantagens da câmera dupla instalada na parte traseira do lançamento. O vídeo mostra isso na prática, destacando um casal que só enxerga um ao outro numa grande cidade.

O resultado é nítido: assim que se ativa o modo retrato do iPhone 7 Plus, tudo o que existe além das pessoas a serem fotografadas é eliminado do local —  uma referência direta ao fato de que todo o foco das fotografias fica justamente no objeto central a ser capturado.

O filme, gravado em Shangai reforça, no seu desenrolar, com ruas vazias e cenários que parece nunca terem sido vistos sem filas ou um mar de gente, o quanto essas fotos podem proporcionar algo que uma cidade destas proporções tenta negar: intimidade.

http://adnews.com.br/internet/modo-retrato-e-destaque-em-comercial-apaixonado-de-iphone-7-plus.html

Infográfico aponta 10 tendências ditadas pelo iPhone

14 de Junho de 2017 

iphone

O próximo dia 29 de junho marca o 10º aniversário do primeiro smartphone multi-touch do mundo, o iPhone. Por isso, a Shutterstock preparou um infográfico celebrando esse marco histórico a fim de mostrar como o iPhone revolucionou o design, a fotografia e as comunicações visuais na última década. A empresa sente “na pele” esse impacto com estimados 1,5 milhão de uploads via iPhone na plataforma em 2017. Confira no anexo as 10 tendências moldadas pelo icônico produto:

Favelagrafia retrata comunidades por quem mais as conhece: os moradores

 

10 de Novembro de 2016 15h – Atualizado às 15:26

favelografia

Com o objetivo de trazer um novo olhar às comunidades cariocas, a NBS Rio+Rio criou o projeto Favelagrafia. Morro do Borel, Santa Marta, Morro da Mineira, Complexo do Alemão, Providência, Cantagalo, Babilônia, Rocinha e Morro dos Prazeres serão retratados de forma verdadeira e pouco óbvia por quem mais entende deles: seus moradores. Ao final, as fotografias serão transformadas em artes gráficas que representarão as comunidades.

O projeto mapeou os talentos locais, buscando habitantes que tivessem um olhar único da sua própria comunidade e que gostassem de fotografia. Uma vez selecionados, os participantes fizeram um workshop e receberam instruções de como utilizar todas as funcionalidades do iPhone SE.  Desta forma, os selecionados podem buscar inspirações e explorar suas comunidades.

A partir desta semana, os locais já começarão a fotografar e transformarão as paisagens despercebidas do dia a dia em obras fotográficas. O trabalho de cada pessoa será entregue até o dia 03 de agosto, quando um designer da NBS desenvolverá uma colagem gráfica das fotos produzidas, formando o nome de cada comunidade.

Além disso, serão montados nove kits de peças impressas — postais, cartazes e calendários — que os jovens fotógrafos poderão comercializar ou utilizar como portfólio. O Instagram @favelagrafia irá compartilhar momentos do projeto.

O projeto Favelagrafia é incentivado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Cultura, com patrocínio do Consórcio Linha 4 Sul e da NBS Rio+Rio.

http://adnews.com.br/midia/favelagrafia-retrata-comunidades-pelo-olhar-de-quem-mais-conhece-os-moradores.html

Nova edição da Harper´s Bazaar foi totalmente fotografada por celular

 

19 de Julho de 2016
Nova edição da Harper´s Bazaar foi totalmente fotografada por celular

A edição de julho da Harper´s Bazaar traz algo inédito para o mercado editorial brasileiro. A revista foi totalmente fotografada por celular, da capa a todos os editoriais.

A edição que chegou às bancas na última semana foca na tecnologia mobile. A capa, por exemplo, traz um cenário sem modelo, apenas com um QR code que permite que os leitores vejam a capa com Aline Weber pela tela do celular. A top foi clicada em clima olímpico no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

A edição, que fica nas bancas até o final de agosto, conta com direção criativa de José Cabaço, profissional que atuou como diretor de agências como Wieden + Kennedy, Young & Rubicam e Leo Burnett em países como Portugal, Holanda e Estados Unidos, assim como diretor de marcas como a Nike, Hurley e Eddie Bauer

http://adnews.com.br/midia/nova-edicao-da-harpers-bazaar-foi-totalmente-fotografada-por-celular.html

Exposição reúne fotos do cotidiano das travessias do Rio São Francisco

Abertura será dia 19 de abril com bate-papo com fotógrafa Lizandra Martins.
São 30 fotografias que foram capturadas a partir de uma câmera de celular.

Juliane PeixinhoDo G1 Petrolina

Foto que integra exposição Travessia (Foto: Lizandra Martins/ Arquivo pessoal)Foto que integra exposição Travessia (Foto: Lizandra Martins/ Arquivo pessoal)
As águas do Rio São Francisco, o vai e vem das barquinhas e o cotidiano dos ribeirinhos inspiraram a fotógrafa, Lizandra Martins, na concepção da exposição fotográfica ‘Travessia’, que estará a aberta à visitação até o dia 1º de julho, na Galeria de Artes Ana das Carrancas, no Sesc dePetrolina, no Sertão de Pernambuco. A abertura vai acontecer no dia 19 de abril, com um bate-papo com a fotógrafa e com o curador da exposição, Chico Egídio.

São 30 fotografias que foram capturadas a partir de uma câmera de celular. O trabalho mostra a sensibilidade e o olhar diferenciado da fotógrafa, diante de paisagens naturais e da vida que acontece entre as travessias entre a cidade pernambucana de Petrolina e a cidade de Juazeiro, na Bahia.

Foto de barqueiro da Exposição Travessia (Foto: Lizandra Martins/ Arquivo pessoal)Foto de barqueiro da Exposição Travessia (Foto: Lizandra Martins/ Arquivo pessoal)

O projeto surgiu no ano de  2014. De acordo com Lizandra, teve um início expontaneamente durante as voltas diárias da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). “Eu senti a necessidade de registrar. São fotografias do cotidiano. Fotografei o  Rio São Francisco, animais, barqueiros, pescadores e as expressões, além de coisas que eu vivi dentro da barca na travessia entre as suas cidades”, conta.

Sobre o uso do celular, a fotográfa revela que a opção foi por uma questão de praticidade, mas que não desabona a qualidade das imagens. “Todas as fotos foram tiradas de celular. O uso do celular surgiu por ser mais prático. O importante é o olhar, o equipamento pode ajudar, mas a sensibiliodade é o ponto principal”, destaca.

Lizandra Martins, de 22 anos, trabalha com fotografia há 6 anos e atua com a fotografia artistica em festivais de dança e teatro na região.  Ela também é graduanda em pedagogia na Uneb.

17/04/2016

http://g1.globo.com/pe/petrolina-regiao/noticia/2016/04/exposicao-reune-fotos-do-cotidiano-das-travessias-do-rio-sao-francisco.html