ACESSO A SITES VIA MOBILE CRESCE 110% EM 2015

A visita aos websites por meio de dispositivos móveis cresceu em 2015 em todas as métricas analisadas pela auditoria digital do IVC. De acordo com o levantamento do Instituto, a alta foi acima de 110% sobre o mesmo período de 2014 em page impressions (PI) – total exato de vezes que uma página foi acessada pelo usuário. Na análise de unique browser (UB), que representa os dispositivos pelos quais as pessoas interagem com os sites, os acessos por meio de dispositivos móveis, os acessos passaram de 24,3% em abril de 2014 para 46,7% em abril de 2015 – maior pico registrado antes do crescimento do final do ano.

Acompanhando o volume de tráfego nos sites auditados pelo Instituto em janeiro do ano passado, o acesso mobile em PI foi de 29,68%. Em dezembro chegou a 35,28%. Os dados deste ano já mostram que a tendência de alta deve se manter, pois em janeiro de 2016 o índice em PI chegou a 36,5%. Participação maior pode ser observada em UB. O IVC apurou que em janeiro de 2015 o acesso por mobile representou 44,8%, enquanto em dezembro esse índice saltou para 52,9%.

Interessante perceber que essa evolução da participação de dispositivos móveis foi gradativa, mês a mês, com picos nas férias de final de ano.

 

Todas as informações foram coletadas com as ferramentas e o banco de dados disponibilizados pelo IVC em seu site (www.ivc.org.br).

29/03/2016 14:19:55

– See more at: http://ivcbrasil.org.br/blog/post.asp?id=261#sthash.Y64y2Jrl.dpuf

Raio-x das festas de fim de ano no Facebook

Crédito: Istock/18percentgrey

As festas de fim de ano são um momento especial para se conectar e celebrar com família e amigos. Nesse cenário, os dispositivos móveis estão rapidamente transformando tradições antigas, remodelando rituais anuais e amplificando as comemorações globalmente.

Com base nos dados do Facebook em 34 países e em pesquisas conduzidas em 21 desses mercados, foram levantados cinco insights essenciais sobre o que as pessoas, e os brasileiros especificamente, esperam nesse período, dados importantes para anunciantes que desejam maximizar o sucesso das vendas na data.

Confira:

Novas maneiras de comprar

De acordo com o levantamento, 6 em cada 10 compradores planejam comprar de uma maneira diferente neste ano no mundo.

Quase 40% dos entrevistados disseram que pretendem fazer a maior parte de suas compras antes do Black Friday;

53% das pessoas planejam comprar por vários canais ;

40% tem a intenção de comprar mais online do que no ano passado.

 

Repensando os presentes

Sobre a tradição dos presentes, 1 em cada 4 pessoas disse que compartilhar uma experiência é o presente ideal, e cerca de metade das pessoas descreve esse presente como algo que foi pensado para elas. Ainda, 85% dos respondentes disseram que estar com quem a gente ama é o ponto alto das festas de fim de ano. No Brasil, o número é um pouco maior do que a média global, chegando a 88%.

No país, também existe um gap entre o que as pessoas querem ganhar e o que elas planejam dar de presente: 38% dos brasileiros querem passar um tempo de qualidade com a outra, mas só 21% está planejando fazer isto; 48% gostaria de ganhar uma viagem de presente, mas 12% pensa em dar viagens de presente.

 

Tradições antigas nos novos meios

As festas de fim de ano estão se tornando cada vez mais visuais: Cerca de 30% mais fotos e vídeos no Facebook via mobile durante a temporada de festas no Brasil; Em dezembro de 2014, mais de 60% das postagens, fotos e vídeos no Facebook foram criadas via mobile no país.

 

Realidade das Festas no Brasil

Pontos Altos:

Dar presentes 52%

Viajar 44%

Família 88%

Ganhar presentes 49%

Comida 59%

 

Pontos estressantes:

Comprar presentes 37%

Viajar 9%

Família 22%

Pressão financeira 53%

Cozinhar 18%

 

Atenção máxima ao mobile

O Facebook registra, globalmente, uma média de 8 bilhões de visualizações diárias a vídeos – a grande maioria, via mobile.

Nas festas do ano passado, 8% das compras no Brasil foram feitas via mobile. Até o compartilhamento de posts, fotos e vídeos no Facebook feitos pelos brasileiros foi quase duas vezes maior por dispositivos móveis do que pelo desktop.

Redação Adnews – 16/11/2015

http://www.adnews.com.br/internet/raio-x-das-festas-de-fim-de-ano-no-facebook

Facebook adiciona novas funcionalidades para páginas mobile

Agora que existem mais conexões móveis ao redor do mundo do que humanos no planeta, as pessoas estão dedicando mais tempo ao mobile. Elas esperam que as informações estejam na ponta de seus dedos e que empresas e pessoas respondam suas mensagens o mais rápido possível.

As empresas têm tirado muitas conclusões dessas tendências. A maior delas é o fato de que nunca foi tão importante fazer com que o seu negócio seja facilmente acessado online.

Pensando nisso, o Facebook anunciou hoje (09) que adicionará novas funcionalidades às páginas mobile.

Entre as novidades, o novo design e posição do botão call-to-action, que passa a ficar logo abaixo da capa de cada página, tornando mais fácil para a empresa usá-los para alcançar seus objetivos.

A empresa também passa a adicionar seções personalizadas às páginas.  Para que diferentes tipos de negócios possam destacar as informações mais relevantes para sua organização, a rede lança duas repartições.

A primeira é a seção de vendas, que ajuda o varejo a trazer seus produtos em primeiro plano. Além da seção de serviços, que permite que as marcas mostrem a lista de especialidades no topo de sua página.

Outra atualização foi pensada para melhorar a experiência do usuário no mobile. O Facebook está atualizando o layout das páginas para que as informações se tornem ainda mais fáceis de serem encontradas, sem a necessidade de rolar muito a página. Esta atualização será lançada nas próximas semanas.

Segundo a marca “as novas funcionalidades refletem a visão de que, não importa se você tem uma empresa de serviços hidráulicos, uma loja de flores, uma empresa sem fins lucrativos ou uma marca, sua página precisa conter as informações que as pessoas buscam, ela deve te ajudar a se comunicar com seus clientes e te dar suporte para alcançar seus objetivos”.

Redação Adnews – 09 de setembro de 2015 · Atualizado às 12h09

http://www.adnews.com.br/internet/facebook-adiciona-novas-funcionalidades-para-paginas-mobile

“Mãozinha” do Google dá o empurrão definitivo ao mobile marketing

À parte do clima de terror instaurado pela imprensa mundial nas últimas semanas sobre a nova atualização do algoritmo do Google, o fato é que mais uma vez o gigante mundial de buscas dá um empurrão certeiro no mercado: quem não se adaptou às estratégias digitais no mobile terá que fazê-lo. Claro que tudo começa com um bom site, mas isso é apenas a ponta do iceberg.

Alardeado como a promessa de um marketing cada vez mais personalizado, em tempo real, e que revolucionaria as estratégias com as tecnologias que permitem o geotargeting e o contato por proximidade, o mobile marketing ainda caminha acanhado no Brasil. Grandes empresas investem em campanhas mais voltadas para o branding e para o engajamento de marca, e o Google (sim, ele novamente!), acabou se antecipando com a geolocalização dos anúncios do Adwords. Agora, feliz ou infelizmente, o mobile terá que voltar à pauta.

E, acredite, não é por falta de adoção da tecnologia. Segundo o IDC, a venda de smartphones no Brasil subiu 55% em 2014, o que representou 54,5 milhões de unidades vendidas. Modelos a preços competitivos conseguiram ganhar seu espaço, mesmo em vista de um cenário econômico pouco favorável, que vem se arrastando desde o ano passado.

O problema não é a adoção da tecnologia por parte do usuário, e tampouco é a potencialidade dos dispositivos que ele tem nas mãos. A questão é que as empresas brasileiras ainda exploram pouco esse universo, preferindo adaptar estratégias digitais para outras telas, ou até mesmo do offline, para o mobile. Mais do que branding, o mobile é muito relevante para vendas, quando aliado à geolocalização e à oferta personalizada de produtos e serviços, com base na referência geográfica do consumidor.

Quem está se adiantando frente a esse mercado são as empresas de tecnologia, como o Google, que utilizam a geolocalização como um fator de importância para o anunciante, e startups, como o Waze, que uniu a prestação de um serviço para o usuário – o de localização – com a oferta de produtos e serviços relacionados ao trajeto. Outros já cruzam dados de deslocamento e histórico de compras para oferecer ofertas relacionadas ao cliente. O problema, talvez, é que algumas dessas iniciativas sejam mais invasivas do que engajadoras, e gerem mais uma experiência ruim do que uma oportunidade de venda.

Com o passo que o Google dá ao eleger o mobile como a próxima peça a ser movida no jogo das buscas, fatalmente as empresas terão que lançar um novo olhar sobre suas estratégias para a terceira tela.

Artigo de Reinaldo Gregori, CEO da Cognatis Geomarketing

21 de maio de 2015 · Atualizado às 10h42 –

http://www.adnews.com.br/artigos/maozinha-do-google-da-o-empurrao-definitivo-ao-mobile-marketing

Online to offline: a nova maneira de comprar

Online to offline: a nova maneira de comprar

Seja para pedir um táxi, reservar uma mesa em um restaurante ou até receber cupons de desconto, o smartphone se tornou uma ferramenta essencial para a realização de tarefas cotidianas. Cada vez mais simples e prático, o universo mobile transcende o digital e deixa o público em contato com experiências no mundo off-line.

Especialmente no Reino Unido e na China, uma tendência conhecida como click and collect, ganha força não apenas para compras, mas também para promoções e programas de fidelidade. Os consumidores adquirem produtos ou aceitam benefícios no digital e os resgatam em uma loja física. Segundo dados da consultoria OC&C, no Reino Unido, o volume de compras realizadas online, mas com pedido de retirada em loja física, deve superar o delivery em 2015.

Essa tendência é vista como positiva por lá, inclusive do ponto de vista do planejamento urbano, como potencial para alavancar a atividade comercial nas ruas das cidades britânicas. O próprio ministro do planejamento Brandon Lewis já se posicionou sobre a necessidade de ajudar o comércio a sobreviver diante da concorrência do e-commerce e, mais recentemente, do m-commerce, visto que a maneira como as compras são realizadas está mudando radicalmente.

Para as marcas, a utilização do click and collect permite a criação de uma jornada profunda de relacionamento e engajamento, que deve ser totalmente alinhada ao posicionamento de cada marca. E é aí que a tecnologia mobile faz toda a diferença. Utilizando os recursos dos smartphones, marcas podem criar interações totalmente personalizadas e usando o contexto para envolver os consumidores em ações promocionais.

Imagine uma rede de fast food que te oferece cupons de desconto para um café quente nas manhãs de inverno e um sorvete nas tardes de verão. Ou seu restaurante favorito oferecendo um desconto em um dia da semana em que você costuma comer fora de casa. A experiência se completa quando você consegue resgatar esses benefícios de maneira fluída, sem precisar imprimir nada ou soletrar nenhum código à atendente no ponto de venda.

Os smartphones permitem ainda a utilização de outros recursos para compor a transição entre on-line e off-line, como os “iBeacons”, que dialogam com os celulares via Bluetooth proporcionando interações microlocalizadas e transformando as lojas em centros de experimentação e engajamento.

A evolução crescente do mobile tem aberto novas oportunidades para o relacionamento entre marcas e consumidores. No Brasil, estamos tratando de um mundo que ainda ganha força. Não existe uma fórmula mágica para aplicar o on-line to off-line (o2o), mas as ferramentas necessárias já estão disponíveis e as marcas de vanguarda colherão os frutos do engajamento mobile.

Federico Pisani Massamormile é CEO da Hanzo

24/04/2015

http://www.proxxima.com.br/home/conectados/2015/04/24/Online-to-offline-a-nova-maneira-de-comprar.html