Asus lança Zenfone 5 no Brasil

sdfs

A nova linha de smartphones Zenfone 5 foi oficialmente lançada no Brasil durante o evento realizado nesta quinta-feira, (16), no WTC Golden Hall em São Paulo. O evento contou com a participação dos principais executivos da empresa e da imprensa nacional.

O Zenfone 5 é um smartphone de 6,2 polegadas que conta com câmera dupla e é o primeiro da marca a oferecer recursos de inteligência artificial (AI). O aparelho também aperfeiçoa fotografia móvel, dando aos usuários uma maneira mais simples e inteligente de capturar e compartilhar todos os momentos.

“O projeto Zenfone foi criado há quatro anos com a ideia de proporcionar o melhor de desempenho em um smartphone para que todos pudessem desfrutar”, afirma Alexandre Wu, presidente da Asus Brasil. “Hoje, a série Zenfone 5 é o nosso lançamento mais completo e inteligente de todos os tempos, trazendo recursos avançados de inteligência artificial e análise de dados para fornecer aos usuários uma experiência única em fotografia, comunicação e conveniência. ”

Confira abaixo o filme de lançamento do produto:

Segundo a empresa, o produto chega ao preço especial de R$1.799,00 para fãs da marca na loja, nos quiosques da marca, Fast Shop, Submarino, Shoptime e  Americanas.com até dia 19/08 ou enquanto durarem os estoques.

O preço oficial do produto é a partir de R$1.999,00.

http://adnews.com.br/negocios/asus-lanca-zenfone-5-no-brasil.html

Anúncios

Asus lança celular para selfies com quatro câmeras

sa

Tendo suas câmeras como um dos diferenciais de seus aparelhos e atenta ao quanto o mundo tem se rendido às selfies, a Asus lança nesta quinta-feira, (16), os seus novos Zenfone feitos especialmente para tirarem fotos.

Parte da família Zenfone 5, os Zenfone 5 Selfie Pro e Selfie, são os primeiros smartphones com um sistema de quatro câmeras de alta resolução – 20MP na frontal e 16MP na traseira – e câmeras wide angle de 120° totalmente independentes tanto na frontal como na traseira.

Projetado para o público que não consegue ficar sem postar nas redes sociais, a novidade traz para o Brasil o primeiro sistema de quatro câmeras funcionais e independentes. Cada câmera principal de alta resolução é acompanhada por uma câmera wide angle com campo de visão de 120°, que é duas vezes maior que uma lente padrão, dando aos usuários o melhor de todos os cenários possíveis.

Ao contrário de outros sistemas onde a câmera secundária só funciona em conjunto com a câmera principal, nos modelos da série Zenfone 5 Selfie cada uma pode ser usada individualmente, dando aos usuários a liberdade de adaptar suas fotos à ocasião. Com a opção do formato padrão ou ultra wide ​​tanto na câmera frontal como na traseira, fica mais fácil compor a selfie perfeita, paisagem, retrato ou fotos em grupo.

O aplicativo BeautyLive de embelezamento ao vivo tem suporte para vídeo em tempo real para Facebook, YouTube, Twitter, Instagram e outras plataformas. Além disso, os usuários podem escolher entre uma gama de aprimoramentos – como remover manchas ou suavizar a pele. O embelezamento é aprimorado com o flash LED suave, deixando os tons de pele perfeitos nas fotos em ambientes com condições de pouca luz.

http://adnews.com.br/tecnologia/asus-lanca-celular-com-quatro-cameras-para-selfies.html

Como a Internet das Coisas vai transformar seu celular no seu melhor assistente médico e mudar os Serviços de Saúde

A IoT viabilizará uma medicina mais assertiva, preventiva e, por isso mesmo, menos custosa, o que é uma boa notícia considerando a perspectiva de envelhecimento da população mundial, que contabilizará 1,2 bilhão de idosos em 2025.

 

ProXXIma – 10 de julho de 2018 – Michel Levy (*)

 

Na corridinha matinal seu relógio inteligente monitora seus batimentos cardíacos e a oxigenação, alimentando seu prontuário eletrônico que está na nuvem e pode ser acessado pelo seu cardiologista em tempo real. Ao chegar em casa, seu celular conectado a um sensor subcutâneo implantado no seu braço dá um alerta de que você esqueceu de tomar sua medicação. Ao usar o vaso sanitário, um teste de urina pode descobrir uma infecção ou, surpresa!, uma gravidez.

Nenhuma revolução na área da saúde será tão impactante quanto as que nascerão na maternidade da Internet das Coisas e que nos próximos anos deixarão o berçário para levar a transformação digital aos consultórios, aos hospitais, aos laboratórios e, acredite, até mesmo à sua casa.

Duvida?

Pois saiba que o Google registrou recentemente uma patente para monitorar a saúde cardiovascular de pacientes através de dados coletados em banheiras ultrassônicas, assentos sanitários sensíveis à pressão, sensores no espelho e outros dispositivos que estarão instalados em um banheiro inteligente projetado para auxiliar no acompanhamento de pacientes com problemas cardíacos.

Do conforto do lar, sem precisar marcar uma consulta, o paciente poderá acompanhar continuamente seu estado, fazer exames e diminuir riscos de ocorrências mais graves tomando medidas preventivas assim que receber o diagnóstico. Com isso, reduzirá os gastos com saúde e visitas desnecessárias ao médico. O sistema de saúde, seja público ou privado, também se beneficiará ao ter condições de identificar e priorizar os casos mais graves, reduzindo assim o custo do tratamento de  doenças crônicas.

O prognóstico é claro: a Internet of Healthcare Things (IoHT) ou Internet of Medical Things (IoMT) irá trazer impactos sem precedentes na história da medicina. Uma pesquisa da Aruba Networks indica que 87% das organizações de saúde irão adotar a IoT até 2019. A IDC (International Data Corporation) prevê que no próximo ano 40% delas estarão utilizando biosensores. A eMarketer projeta que esse será um mercado de impressionantes US$ 163 bilhões em 2020.

Como nas demais indústrias, a principal vitamina da Internet das Coisas e sua principal aplicação na medicina é o Big Data.

A  empresa de análises de mercado MarketsandMarkets avalia  que em 2021 o mercado global de wearables (tecnologias vestíveis) de saúde será de US$ 12 bilhões. A empresa de pesquisa Berg Insight prevê que, no mesmo ano, existirão mais de 50 milhões de pessoas monitoradas por equipamentos conectados, que irão abastecer continuamente bancos com dados sobre a saúde da população, permitindo, por exemplo, antecipar uma campanha de vacinação ao prever a iminência de uma epidemia ou avaliar quais terapias estão trazendo melhores resultados para determinado tipo de câncer.

Minerando dados provenientes de diversas fontes e apoiados por algoritmos, os profissionais da saúde – médicos, laboratoristas, pesquisadores e enfermeiros – contarão com um poderoso sistema de Electronic Healthcare Records (EHR) para identificar patologias, receber recomendações para definir os tratamentos mais indicados e acelerar o desenvolvimento de novos medicamentos a partir de testes em grupos de indivíduos monitorados.

É um caminho sem volta. As principais empresas de tecnologia do mundo já embarcaram na IoMT, fazendo uso intenso de Inteligência Artificial.

A IBM colocou a inteligência artificial do Watson para analisar dados de saúde recebidos de aparelhos conectados. A Philips fechou parceria com a Salesforce.com para criar uma plataforma que integra equipamentos médicos para extração e análise de informações recolhidas através de prontuários, exames de imagem e wearables. Intel e Microsoft também são atores importantes da nova revolução da IoT na medicina de precisão, sustentada pela associação da Inteligência Artificial com a robótica e a computação em nuvem.

Fonte da Imagem: Neurogadget

Além do Big Data, outras aplicações de IoT já vêm garantindo maior qualidade de vida aos pacientes. A Roche distribui um monitor que, implantado sob a pele, envia para um app no celular os índices de glicose dos diabéticos. Desenvolvidas pelo Google e licenciadas pela Novartis, lentes de contato analisam as lágrimas dos pacientes para também medir os níveis de açúcar no sangue.

Mas incrível mesmo são os sensores ingeríveis da Proteus Digital Health. Basta engolir uma pílula que dissolve no estômago e produz um pequeno sinal transmitido para um app para avisar o paciente se ele está ou não seguindo o tratamento e tomando sua medicação de forma correta.

Fonte da Imagem: Pharmafile

A IoT viabilizará uma medicina mais assertiva, preventiva e, por isso mesmo, menos custosa, o que é uma boa notícia considerando a perspectiva de envelhecimento da população mundial, que contabilizará 1,2 bilhão de idosos em 2025.

Ela possibilitará o monitoramento dos pacientes em casa e o acompanhamento de idosos remotamente. Se associada aos serviços de orientação médica, os médicos estarão conectados realizando consultas via videoconferência e, assim, teremos menor impacto no fluxo de pessoas nos ambulatórios dos hospitais. Os grandes hospitais irão, a cada dia, se especializar cada vez mais na alta complexidade.

 

Estudos divulgados recentemente pela Topmed mostram que, somente com os serviços de orientação médica, 34% dos pacientes deixam de ir às emergências e 40% já são encaminhados a um médico especialista, evitando o desperdício.

No entanto, um ponto de atenção são os riscos inerentes de vazamentos de dados pessoais extremamente sensíveis, o que já chamou a atenção de empresas de segurança de TI como Intel, Oracle, IBM e Cisco, todas empenhadas em disputar o mercado de soluções de segurança para healthcare.

Pior do que ter seus dados expostos (já imaginou?) seria se seu marcapasso ou o monitor que controla a dosagem da sua medicação fossem ‘hackeados’. Um estudo da Healthcare Informatics indicou que no ano passado 45% dos ataques de ransomware foram contra indústria de healthcare.

Riscos à parte, o fato é que, com o crescimento exponencial da IoT no mundo de healthcare, médicos dificilmente prescreverão algum tratamento ou medicação sem antes consultar seu prontuário eletrônico na nuvem e compará-lo com milhares de casos semelhantes. Por isso, se quiser ser tratado pela IoMT, esteja disposto para ser monitorado o tempo todo, a toda hora, em qualquer lugar.

O acesso à sua saúde estará em suas mãos!

 (*) Michel Levy é CEO da Zatix Tecnologia e Membro do Conselho do Grupo Benner. Foi CEO da Saraiva, Presidente da Microsoft no Brasil e Vice-Presidente de Operações da TIM

http://www.proxxima.com.br/home/proxxima/how-to/2018/07/10/como-a-internet-das-coisas-vai-transformar-seu-celular-no-seu-melhor-assistente-medico-e-mudar-os-servicos-de-saude.html

Samsung desenvolve smartphone com tela dobrável

samsubg

A Samsung desenvolve um smartphone flexível há alguns anos, e de acordo com alguns rumores, o projeto está quase concluído. O Korea Times informou por meio de analistas que cobrem a Samsung Eletronics que a empresa planeja estrear esse dispositivo em 2019.

Kim Jang-Yeol, chefe de pesquisa da Golden Bridge Investment, com sede na Coréia do Sul, fez a estimativa de preço do aparelho em cerca de US$ 1.830 (R$ 6.844) sem subsídios de transportadoras.

O modelo, por enquanto chamado de “Galaxy X”, pode vir com uma tela OLED de 7,3 polegadas, que é reduzida para uma tela de 4,5 polegadas quando dobrado.

A marca continua sem divulgar sobre este novo design, já que o projeto seria o primeiro no mundo. A empresa está disposta a proteger a ideia, principalmente porque seus principais concorrentes chineses Huawei e ZTE também estão criando smartphones com telas dobráveis.

http://adnews.com.br/tecnologia/samsung-desenvolve-smartphone-com-tela-dobravel.html

Samsung e LG querem transformar telas em caixas de som

SAMSUNG

A Society of Information Displays (SID) ocorreu em maio de 2018. A conferência reúne grandes marcas da tecnologia para apresentar novos projetos. Desta vez, a Samsung e a LG roubaram as atenções ao anunciar uma tela capaz de transmitir som, abrindo novas possibilidades para a criação de telas infinitas para ambas as empresas.

As novidades apresentadas estão em fase de teste e podem ganhar produtos finais em breve. Segundo o site sul-coreano ETNews, as duas pretendem incluir um painel OLED que dispensa a necessidade de transmissores de áudio em sua programação até 2019.

A LG pretende incluir o sistema em alguns notebooks. Segundo as informações colhidas na apresentação, isso é possível por meio dos painéis CSO que conseguem reproduzir áudio a partir da vibração também em telas de TV desenvolvidos pela companhia.

http://adnews.com.br/tecnologia/samsung-e-lg-querem-transformar-telas-em-caixas-de-som.html

DogHero lança “Uber” dos passeadores de cachorro

uber

Passear com o cachorro requer um certo tempo na agenda de seu dono. Pensando na dificuldade para algumas pessoas, a DogHero, aplicativo que conecta pais de cachorro a anfitriões que hospedam os pets em casa, expande o portfólio de serviços e lança a opção de passeios. Pela plataforma, é possível agendar o serviço ou pedi-lo imediatamente: mesmo conceito dos aplicativos de transporte, como Uber e 99.

O cliente é avisado pelo app quando o passeio começa e pode acompanhar o trajeto em tempo real. Além disso, a atenção é exclusiva, pois o passeador caminha com um cachorro por vez (ou com dois, se forem da mesma família).

O serviço já está disponível na cidade de São Paulo e chegará em outras capitais a partir de julho. O cliente baixa o aplicativo, coloca o endereço, dá informações sobre o cachorro (como porte, raça e idade), explica como é o comportamento dele e escolhe quando quer agendar o passeio. A partir disso, a empresa indica o passeador com o perfil mais adequado para atender aquela família.

Os passeios, de 30 minutos ou 1 hora, custam a partir de R$ 25. Planos mensais têm desconto de 20% e o pagamento é feito pelo aplicativo. Caso o cachorro sinta-se mal durante o passeio, a empresa reembolsa eventuais gastos com veterinário, exames e medicamentos em até R$ 5 mil.

http://adnews.com.br/tecnologia/doghero-lanca-uber-dos-passeadores-de-cachorro.html

Uber lite, versão de 5 MB para conexões lentas, estreia na Índia

sa

Criado em São Francisco, o Uber pegou carona na conexão super-rápida e no amor dos californianos pelo mobile para fazer sua fama e se tornar um case moderno de sucesso. Popularizado ao redor do mundo, a plataforma tem dificuldades em conviver de maneira harmônica com países que têm estruturas sociais completamente diferentes dos Estados Unidos.

Famosa pela sua população de 1,3 bilhão de pessoas, a Índia é um país que encanta pela sua riqueza e pluralidade de seus habitantes. Tido como o mercado mais importante da Ásia, o Uber lançou nesta terça-feira (12) a versão Lite de sua plataforma.

Mais leve, a novidade pensada para celulares Android mais simples e conexões mais lentas, chega ao mercado com 5 MB e a promessa de se adequar melhor à vida do indiano. Diferentemente de sua versão mais robusta, com, 181,4 MB, o “primo mais leve” da marca apresenta mapas opcionais, mas funcionalidades de segurança como compartilhar viagens com amigos presentes.

Confira abaixo o vídeo de apresentação do dispositivo:

Com o intuito de expandir a edição para outros países emergentes, o CEO da startup Dara Khosrowshahi disse ao canal local de televisão ETNow em 22 de fevereiro que “ Se você olhar para o mercado, é um dos nossos mercados mais saudáveis ​​em termos de taxas de crescimento … Quando penso em Uber e onde estaremos daqui a cinco ou dez anos, nosso sucesso na Índia desempenhará um papel vital no crescimento dessa empresa e o lugar que estaremos no futuro da mobilidade global”

Ainda não há a data prevista para o Uber Lite ir para outras regiões. Ao que parece, será necessário acompanhar o sucesso da corrida pelos clientes com menor poder aquisitivo na Índia para saber quando a comodidade desembarcará em terras brasileiras

http://adnews.com.br/tecnologia/uber-lite-versao-de-5-mb-para-conexoes-lentas-estreia-na-india.html