Pip: uma rede social para marcas com fome de engajamento

 

31 de Outubro de 2016 09h – Atualizado ás 09:40

Imagine o seguinte cenário: você é uma agência de propaganda ou anunciante e tudo que você mais quer e precisa é reunir uma comunidade que além de compartilhar receitas e mostrar seus dotes culinários é amante da boa mesa e aprecia consumir as mais variadas delícias. Conseguiu pensar em muitas opções? Do ponto de vista de mercado é exatamente isso que representa o Pip, uma rede social que já reúne mais 200 mil “food lovers” no Brasil. Nela, uma espécie de releitura moderna dos velhos cadernos de receita, é possível compartilhar conteúdo com amigos, curtir e comentar seus pratos, além de interagir com perfis de marcas, blogueiros, chefs e celebridades.

O diferencial é colocar todos os stakeholders na mesma página: o universo gastronômico.

Diariamente a plataforma recebe a visita de mais de 30 mil usuários por dia. Para Valeria Guerra, diretora comercial da empresa, o grande diferencial que a rede social oferece, para empresas e produtores de conteúdo, é colocar todos os stakeholders na mesma página: o universo gastronômico. “O potencial de engajamento aumenta muito, pois todos estão navegando no Pip exclusivamente para falar sobre um mesmo assunto: o preparo e o consumo de boas receitas. Se a marca produz um bom conteúdo e desenvolve estratégias que melhorem a experiência do consumidor, mais chances ela tem de performar com branding ou qualquer outro objetivo especifico”, explica.

As possibilidades são diversas para blogueiros, veículos e influencers e vão desde as ações gratuitas, como criar fanpage, ter url personalizada e criar comunidades, até as ferramentas pagas, com opções de patrocínio de posts e espaços especiais para banners segmentados de acordo com as características dos targets, incluindo geolocalização.  Outra vantagem da rede social, para quem quer construir uma base de seguidores, é o alcance das publicações, já que o usuário recebe notificações sobre 100% do conteúdo que cada página posta.

Com o know how de desenvolvimento de uma empresa de tecnologia, além dos espaços tradicionais, o Pip também é capaz de criar projetos especiais e soluções customizadas para os anunciantes dentro da plataforma.  “Temos uma ferramenta simples e inteligente, mas também projetos de crescimento por escala, com totais condições de desenvolver novos atributos, botões e funcionalidades e ajudar as marcas no contato com seu público”, conclui Valéria.

Quem chega mais rápido na rede social tem a possibilidade de se apropriar do terreno e da linguagem de uma maneira mais consistente que os demais.

Para a diretora comercial, quem chega mais rápido na rede social tem a possibilidade de se apropriar do terreno e da linguagem de uma maneira mais consistente que os demais.  Nesta linha, nomes como o chef Edu Guedes e empresas do porte de Carrefour e Nesfit já possuem o seu perfil no Pip, um aplicativo para quem tem fome de comida, mas também apetite para engajar o público de maneira eficiente e criativa.

O Pip está disponível gratuitamente para download no Apple Store e Google Play.

Native Ads

http://adnews.com.br/adcontent/pip-uma-rede-social-para-marcas-com-fome-de-engajamento.html

Google lança ferramenta para encontrar amigos em multidões

 

23 de Março de 2017  

google maps achar amigos

Luiz André Barroso, vice-presidente de engenharia para as plataformas de geolocalização (como a “Busca” do Google e Google Maps), anunciou, durante um evento da empresa em São Paulo, o lançamento, em nível global, de uma ferramenta desenvolvida para encontrar amigos em multidões.

Basicamente, funcionará assim: ao clicar em um botão na aba do Google Maps, o usuário poderá escolher um contato para compartilhar sua localização. À medida em que a pessoa se desloca, a atualização é feita automaticamente no mapa do aplicativo do destinatário. A novidade evita, por exemplo, que durante o deslocamento a pessoa tenha que enviar seguidas mensagens informando onde está. O destinatário também poderá enviar a sua localização e assim um mapa é gerado, onde os deslocamentos dos dois usuários serão atualizados em tempo real.

Segundo Barroso, a ferramenta será útil também para que duas pessoas se encontrem no meio de uma multidão. O vice-presidente também divulgou que o Brasil é o laboratório de outro experimento do Maps, antes do lançamento em escala global: trata-se de uma ferramenta chamada “Meu Negócio”, que permitirá a pequenas empresas sem páginas na internet serem listadas nos mapas e nas buscas da companhia.

O Google criou uma ferramenta para criação de página de internet otimizada para celular, voltada especialmente para pequenos negócios sem presença online. Depois do cadastro e da criação da página — que leva 10 minutos, segundo Barroso — o novo negócio passa a aparecer em buscas e no Maps. A fase de testes envolve 50 mil pequenos negócios no Brasil, segundo o Google

http://adnews.com.br/tecnologia/google-lanca-ferramenta-para-encontrar-amigos-em-multidoes.html

O que é ser Digital First?

 

23 de Março de 2017 

Digital Frist

Como o título sugere: fazer o Digital primeiro. Sim, muito óbvio, mas não é esse o ponto. Para entender o que é ser Digital First temos que entender o que representa essa cultura, antes mesmo de termos essa premissa.

Até alguns anos atrás, duas palavras eram as mais faladas em reuniões de briefing com cliente, e não estou falando de “vídeo viral”, mas sim da tão famosa “second screen”. Se pensarmos, isso fazia sentido em 2012, quando em uma campanha de marketing integrada, TV e Twitter se complementavam.

Mas hoje não é bem assim. Usuários de redes sociais pensam na TV como “second screen”. O smartphone é a tela principal deles. Logo, o famoso “mobile first” aparece.

Hoje, o mobile já tem penetração de 90% no Brasil, com mais de 168 milhões de smartphones em uso. Em 2016, Facebook e Youtube juntos representaram mais de 50% dos canais de conteúdo em vídeo mais vistos.

Atingir o maior número de pessoas no target, primeiramente no ambiente digital, otimizando e rentabilizando o investimento e, assim, abrindo caminho e criando consideração pela marca, para então amplificar as ações aos meios off-line. Tudo isso faz sentido, mas quanto? Muito mais do que imaginamos até agora.

Entendemos que o consumidor está ativo em todos os meios de comunicação, no seu respectivo momento. Para isso, estar alinhado a esse comportamento é essencial para maior performance e conquista do objetivo, além de compreender o comportamento de consumo dos meios do target.

Falando de mídia digital, vemos uma grande onda de comportamento das pessoas cada vez mais voltadas para o consumo de conteúdos rápidos, personalizados, direcionados e produzidos com foco no ambiente online. A tendência é que isso ocorra com maior frequência, trazendo qualificação e principalmente preocupação em atender a atual sociedade.

As campanhas digitais irão pautar as campanhas off-line. A sustentação de uma campanha, antes pensada como algo menor em um plano tático ou de conversão, agora será protagonista da estratégia e fará toda a diferença, desde a geração de conhecimento de marca e consideração até engajamento e conversão.

Digital First é um modo de pensar e agir. Trata-se de uma cultura que vem ganhando cada vez mais espaço e oportunidade, graças aos anunciantes e agências que querem de forma consistente evoluir o pensamento. A importância disso só traz a tona o que a TV, rádio e impressos consolidaram há muitos anos e hoje vêm se reinventado para continuar relevantes.

Se olharmos para marcas e anunciantes “nativos” digitais como Uber, Youtube, Nubank, Amazon, entre outros, o core da comunicação é o próprio ambiente onde elas nasceram e irão se desenvolver. Faz sentido para elas comunicarem e serem vistas ali, e até mesmo focar 100% dos seus investimentos publicitários no meio digital.

http://adnews.com.br/adarticles/o-que-e-ser-digital-first.html

Waze estreia serviço de caronas este ano no País

22 de Março de 2017 

Waze Carpool

Pela primeira vez, a Google apresentou em um evento o que já fez e fará aqui no Brasil. A cerimônia ocorreu nesta manhã (22) no Auditório do Ibirapuera em São Paulo. Lá, diversos executivos da empresa contaram o que já aconteceu no país e as novidades que a gigante da tecnologia preparou para 2017.

Durante as apresentações, um dos lançamentos que mais chamou a atenção foi a chegada do Waze Carpool anunciado pela diretora da plataforma, Di-Ann Eisnor. Segundo a profissional, a escolha foi natural, pois o Brasil é o segundo maior mercado do aplicativo em todo o mundo e São Paulo é a cidade com mais usuários mensais. “A chegada da ferramenta só foi possível pelo crescimento da comunidade no país. Será um modo novo de se locomover. Não será igual táxi nem ao Uber”, disse Eisnor

Na prática, o app funcionará de modo simples, quem deseja carona se ligará com pessoas que buscam companhia em seus trajetos ou um complemento na renda. Confira abaixo vídeo explicativo:

Ação interativa TIM faz espera em pontos de ônibus ficar mais prazerosa

20 de Março de 2017 

TIM interativa

A TIM está com uma novidade interativa para cariocas e paulistanos. A operadora instalou na Praia do Botafogo, Rio de Janeiro e na Avenida Paulista, São Paulo, dois mobiliários urbanos (MUBs) com tela touch screen, que usam a tecnologia para cruzar informações de aplicativos de rastreamento e avisar o passageiro sobre a localização de seu ônibus em tempo real. Enquanto aguarda, o pedestre pode ouvir musicas pelo TIMmusic by Deezer – uma das maiores plataformas de streaming do mundo, com mais de 40 milhões de músicas – ou ainda ler revistas no aplicativo próprio (que possibilita a leitura de mais de 40 títulos brasileiros).

“Essa experiência interativa, atrelada a uma prestação de serviço, está em total sintonia com o nosso conceito de fazer diferente, mantendo o diálogo próximo não só com o nosso cliente, mas também com todos os públicos. O objetivo desta ação é oferecer um pouco do que o plano TIM Controle tem atualmente e mostrar que em momentos como esses os clientes TIM têm à disposição muitas músicas e revistas para se entreterem sem descontar da internet”, afirma Ana Paula Castello Branco, diretora de Advertising & Brand Management da TIM.

Para interagir com a plataforma, o usuário precisa escolher a modalidade que deseja – música ou revista – e selecionar qual linha de ônibus pretende pegar. Caso escolha a opção do TIMmusic, uma playlist é montada de acordo com o tempo de espera calculado pela ferramenta. Dois minutos antes da estimativa de chegada do transporte, o aplicativo envia uma mensagem de alerta.

Desenvolvida pela Z+, a ação tem o objetivo de transformar a espera em um momento leve e divertido, além de possibilitar que o usuário conheça os benefícios do novo plano TIM Controle.

Ficha técnica

Anunciante: Tim Celular S/A
Agência: Z+ Comunicação LTDA
Título: Ponto de Ônibus Interativo
Produto: TIM Controle
VP de Criação: Fernando Rodrigues
Direção de Criação: Alessandra Muccillo e André Mancini
Criação: Alessandra Muccillo, André Mancini, Paula Dias e Guilherme Azevedo
Interface e UX: André Mancini e Maurício Zabotto
Gerente de Projeto: Rafael Coelho
Atendimento: Fernando Silva, Maria Amélia Reis (Mamé Reis), Frederico Vaz e Lia Turato.
Planejamento: Bernardo Kirschner e Bira Aguiar
Aprovação/Cliente: Pietro Labriola, Ana Paula Castello Branco, André Borges, Carolinne Spiegel, Luiza Dantas.
Produção RTV: Tina Araújo e Vanessa Garcia
Produção Gráfica: Z+
Artbuyer: Alice Sueko
Produtora de Tecnologia: BIZSYS
Tecnologia: Fábio Palma e Filipe Palma
Desenvolvimento: Erik Nascimento, Felipe Oliveira e Juliana Moraes
Atendimento: Thais Mattos
Produção: Rodrigo Cassino e Fábio Alves
Produtora Vídeo: Monster Films
Diretor: Monster Films
Diretor de fotografia: Ronaldo Land e Raul Carielo
Atendimento: Renato Rocha, Ailton Almeida e Larissa Resende
Coordenação produção: Cris Françoise
Coordenação de pós-produção: Hugo Tockaes
Montador: Hector Hasegawa, Tiago Carezzato e Rodrigo Pinheiro.
Finalizador: Hugo Tockaes
Animação: Chrystian Danucalov e Alex Souza
Produtora Áudio: Estúdio 57
Produtor: Junior Aragaki
Atendimento: Rita Ambrósio

http://adnews.com.br/publicidade/acao-interativa-tim-faz-espera-em-pontos-de-onibus-ficar-mais-prazerosa.html

Google lança aplicativo que converte voz em emojis

 

17 de Março de 2017  

app transforma voz em emoji

O Google está trabalhando em outro aplicativo de mensagens experimental, desta vez no campo de áudio. O novo app, “Supersonic Fun Voice Messeger”, é o segundo a sair, só neste mês, da Google’s Área 120, uma incubadora interna que trabalha novas ideias.

O Supersonic transcreve tudo o que você disser e no lugar das palavras, coloca emojis onde puder. A transcrição, além de ser precisa e rápida é feita em tempo real. Isso significa que você não precisa esperar que seu amigo envie a mensagem inteira antes de começar a ver a transcrição.

http://giphy.com/embed/10UY1Pwf4RQ2xa

via GIPHY

O aplicativo fica no meio do caminho entre mensagens de áudio somente e de texto. Além de ler o trecho transcrito, a mensagem de áudio original também pode ser ouvida, criando uma combinação entre chamada e mensagens de texto. O aplicativo também possui um programa computadorizado que funciona automaticamente, estilo assistente do Google, chamado “Supersonic Help-bot”. Ele usa o aprendizado de máquinas para “melhorar” seu desempenho ao longo do tempo. Deste modo, você pode fazer as perguntas do bot e ele responderá com as suas próprias mensagens de voz e emoji.

Área 120 é uma incubadora interna para Googlers para trabalhar em novas idéias, por isso agora Supersonic não é um aplicativo oficial da marca Google

http://adnews.com.br/tecnologia/google-lanca-novo-aplicativo-que-converte-voz-em-emojis.html

O Carnaval da mídia começou na quarta-feira de cinzas

 

07 de Março de 2017

carnaval

Pouca gente notou um surpreendente fato exatamente na quarta-feira de cinzas passada. Refiro-me a partida de futebol chamada “Atletiba”, entre o Atlético-PR e o Coritiba. Foi a primeira transmissão de uma partida de futebol ao vivo pela internet no Brasil.

Na verdade, o marco histórico só foi possível pela insistência dos dois times paranaenses, que não concordaram em jogar no dia 19 de fevereiro, quando a Federação Paranaense de Futebol alegou problemas de credenciamento da equipe técnica da transmissão que seria exclusivamente realizada pela web naquela data. Vale lembrar, que os clubes não fecharam o jogo com nenhuma emissora de televisão. De fato, todos sabemos que a história não era bem essa para a não realização do clássico. A razão que acabou prevalecendo foi o receio em permitir a transmissão de uma partida de futebol pelo Youtube e Facebook. Para mim, receio desnecessário, pois assim como o rio caminha para o mar, a TV caminha para o digital.

A tecnologia já está disponível há muitos anos, desde 2015 o Youtube transmite a Copa do Rei da Espanha, por exemplo. Mais ainda: em 2014 foi exibida ao vivo a WSL-Liga Mundial de Surf, que para nossa alegria teve como campeão um brasileiro, o Gabriel Medina.

Mas não pensem que neste novo cenário o Youtube e oFacebook estão sozinhos. O Twitter também já se posiciona e transmite globalmente a NFL-National Football League. Além disso, a rede social de 140 caracteres também comprou os direitos do PGA Tour, maior torneio de golfe americano, os jogos de rúgbi de seis nações, que reúnem a elite do rúgbi mundial, os jogos de tênis do Aberto da Austrália e ainda os jogos da MLB- Ligas de Beisebol, entre outros.

Quer outro exemplo? Na última sexta-feira (3) a GOL, transportadora aérea oficial da Seleção Brasileira de Futebol, se uniu com a CBF para transmitir a convocação oficial do técnico Tite, direto do hangar da companhia, através de uma Live no Facebook. Assim, no perfil da empresa na rede social, mais de 100 mil pessoas acompanharam cada convocado em tempo real, através de seus computadores ou smartphones.

Enfim, como podemos perceber, será muito difícil mesmo dissociar o computador da TV e a TV do computador. Eles estão se fundindo, unindo funções. A conclusão desta história toda é que a televisão está se tornando um computador. Daqui a pouco, a televisão tradicional sumirá do nosso dia-a-dia. (Último parágrafo do capítulo “Navegando pela TV” do meu livro Atração Global de 1998).

Para quem quiser assistir a histórica partida, que curiosamente teve quatro patrocinadores; a Copel Telecom, a Umbro, a Caixa e a NET, basta acessar o vídeo baixo, que já teve mais de 500 mil visualizações no Youtube, fora os três milhões ao vivo no Facebook:

Antonio Rosa Neto, presidente da Dainet e da ABEMD

http://adnews.com.br/adarticles/o-carnaval-da-midia-comecou-na-quarta-feira-de-cinzas.html